ACORUS




Início > Artigos

Salvar o Planeta com Feijões

Publicado
Comentários 0

Feijões proteína ecológica
Foto: Freepics


Segundo o repórter científico Morgan McFall-Johnsen num seu artigo publicado na revista Insider, os feijões, lentilhas, ervilhas, as nossas conhecidas leguminosas, podem ser uma esperança na alimentação mais sustentável da humanidade.

“Essas plantas fazem algo especial que outras não conseguem. Ao contrário da maioria de suas congéneres verdes, as plantas do feijão e lentilha, podem absorver nitrogênio diretamente do ar” conta-nos Morgan McFall-Johnsen no seu artigo.

É conhecido desde há muito que os paisagistas acrecentam sementes de lupinus lupens ou tremocilho na sementeira de herbáceas para revestimento de prados, aproveitando a capacidade destas leguminosas em azotarem o solo, e proporcionarem um crescimento auto sustentado destas culturas.

Da família das fabáceas, existem cerca de 150 espécies classificadas neste género e conhecidas como tremoceiro (subgéneros Lupinus, e Platycarpos). A maioria destas espécies tem a propriedade de fixar azoto/nitrogênio nos solos, e muitas são utilizadas como fertilizante natural em zonas agrícolas.

“Trabalhando com as bactérias nas suas raízes, as leguminosas extraem nitrogênio da atmosfera e transformam este em amônia. Essa é uma forma de nitrogênio que todas as plantas podem usar. As leguminosas injetam essa amônia no solo, permitindo que outras plantas se alimentem do seu próprio crescimento”, explica-nos ainda Morgan McFall-Johnsen.

“Eles são essencialmente a fábrica de fertilizantes da natureza”, conta-nos Liz Carlisle, professora assistente de estudos ambientais da Universidade da Califórnia, em Santa Bárbara, e autora do livro “Lentil Underground”

As leguminosas são mais ecologicamente corretas do que os fertilizantes sintéticos, que exigem combustíveis fósseis para serem produzidos, lixiviam poluição perigosa nos cursos d’água e liberam o poderoso óxido nitroso do gás de efeito estufa no atomosfera.

Feijões e lentilhas são alimentos ricos em proteínas com emissões muito menores do que a carne.
Segundo Our World in Data, por exemplo, produzir 100 gramas de proteína de carne bovina emite quase 90 vezes mais carbono do que a mesma quantidade de proteína de feijões ou ervilhas.

Imaginem se os cientistas conseguissem convencer toda a humanidade (que consome carne) a substituirem os bifes que consomem num só dia por um prato de feijões ou lentilhas, num ano lançaríamos para a atomosfera o mesmo CO2 que hoje lançamos em 4 dias.

Isso significa que as leguminosas podem ser um poderoso recurso na construção de sistemas agrícolas mais sustentáveis.


Referências: Revista Insider – Novembro 2022

Autor

Comentários

Não existem actualmente comentarios a este artigo

Comente aqui

Insira o seu comentário abaixo. Campos marcados * são necessários. Deve previsualizar o seu comentário, antes de finalmente o inserir.